Morrem sete venezuelanos na fronteira com Colômbia

Uma engenheira da empresa estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA), um agente da Guarda Nacional e cinco membros do exército venezulano morreram nesta sexta-feira, em um ataque na fronteira com a Colômbia. Acredita-se que o atentado contra a patrulha foi realizado por um grupo armado colombiano. Segundo o ministro da Defesa, Jorge García Carneiro, os soldados e a engenheira, identificada como María Carrasco, morreram depois de serem atacados próximo ao rio Arauca, que delimita a fronteira entre Venezuela e Colômbia. ?Essa patrulha estava a mando do subtenente Carlos Pérez Fernández, e estavam cuidando da segurança de dez civis da PDVSA, que realizavam uma inspeção exploratória?, declarou García Carneiro. O subtenente Pérez Fernández está entre as baixas. Além das mortes, há mais duas pessoas feridas. A presença militar venezulana na área foi reforçada com o envio de 60 soldados, o apoio aéreo de três helicópteros e dois caças F-16. A fronteira entre os dois países, com 2.219 quilômetros de extensão, é marcada pela presença de bandidos, narcotraficantes, paramilitares e guerrilheiros que se valem do isolamento para realizar suas atividades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.