Morsi diz que será presidente para todos os egípcios

Mohamed Morsi, primeiro muçulmano a ser eleito presidente do Egito, disse neste domingo que será um governante "para todos os egípcios" e pediu a unidade nacional, informou a AFP. "Serei um presidente para todos os egípcios", disse Morsi poucas horas depois de ser declarado eleito, após uma corrida presidencial acirrada contra Ahmed Shafiq, último primeiro-ministro a governar com o presidente deposto Hosni Mubarak.

Agência Estado

24 de junho de 2012 | 18h00

A eleição dividiu o país entre os que temiam o retorno do velho regime e os que desejavam manter a religião fora da política e que temiam que a Irmandade Muçulmana sufocasse as liberdades pessoais. Morsi, que renunciou à Irmandade para assumir o cargo, agradeceu os "mártires" dos levantes pela vitória e ressaltou que "a revolução continua".

Ele também prometeu honrar os acordos internacionais. "Vamos preservar todos os acordos e internacionais (...) viemos em paz", disse. O Egito foi o primeiro país árabe a assinar um acordo de paz com Israel, em 1975. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EUAEgitoMohamed Morsi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.