AP
AP

Morsi será julgado no próximo dia 28

Presidente deposto responde a três processos desde que foi derrubado do cargo

O Estado de S. Paulo,

02 de janeiro de 2014 | 10h55

O ex-presidente egípcio Mohamed Morsi será julgado a partir de 28 de janeiro por uma fuga carcerária em massa ocorrida em 2011, segundo fontes judiciais. Esse é um dos três processos movidos contra o político islâmico desde sua destituição, em julho.

Desde que isso ocorreu, as forças de segurança realizam uma intensa campanha de repressão contra a Irmandade Muçulmana, grupo político de Morsi. Milhares de ativistas já foram detidos por acusações de incitar à violência. No mês passado, a Irmandade foi oficialmente qualificada como grupo terrorista.

Morsi também é acusado de envolvimento na morte de manifestantes e de colaborar com os grupos islâmicos Hamas e Hezbollah para realizar uma conspiração terrorista contra o Egito. Ele poderá ser condenado à morte.

O ex-presidente e outros líderes da Irmandade fugiram da prisão em 28 de janeiro de 2011, dias depois da revolução popular que derrubou o ditador Hosni Mubarak. Os ativistas islâmicos haviam sido detidos pelas forças de segurança durante a revolução.

No ano seguinte, Mursi se tornaria o primeiro presidente eleito democraticamente na história egípcia. Ele ocupou o cargo durante quase um ano, até ser destituído por militares em meio a intensos protestos contra seu governo. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.