Morte de embaixador não muda planos de Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, confirmará seu plano de iniciar a retirada das tropas americanas do Afeganistão em junho de 2011 e de transferir gradualmente a responsabilidade pela segurança do país ao governo afegão até 2014. Segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, a decisão foi reiterada em reunião com 20 colaboradores, diplomatas e militares para avaliar o primeiro ano de adoção da estratégia afegã.

AE, Agência Estado

15 de dezembro de 2010 | 08h17

O encontro ocorreu ontem, no dia seguinte à morte do embaixador Richard Holbrooke, enviado especial para Afeganistão e Paquistão. De acordo com Gibbs, a avaliação de ontem foi sobre o sucesso das operações de combate ao Taleban nos últimos dois meses, sobre a estratégia para derrotar a Al-Qaeda na região e sobre a transferência da segurança do país aos afegãos.

Os EUA mantêm no país quase 100 mil soldados. Este ano, porém, vários países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) começaram a retirar-se do Afeganistão.

A perda de Holbrooke, aos 69 anos, traz um revés para a estratégia dos EUA. Chamado de "gigante da política externa americana" por Obama, Holbrooke foi responsável por pressionar o presidente afegão, Hamid Karzai, a assumir o controle da segurança do país e a combater a corrupção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAfeganistãodiplomatamortetropas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.