Morte de estudante de Yale foi planejada, diz polícia

A estudante de farmacologia da universidade de Yale que foi assassinada e colocada numa tubulação foi vítima de um crime planejado, disse a polícia nesta segunda-feira.

AE-AP, Agencia Estado

14 de setembro de 2009 | 17h41

A polícia encontrou o corpo de Annie Le, de 24 anos, às 17h (horário local) de ontem, dia em que ela se casaria. O desaparecimento foi comunicado na terça-feira. Seu cartão de identificação, dinheiro, cartões de crédito e carteira foram encontrados em seu escritório, localizado no terceiro andar do prédio de alta segurança da escola de medicina de Yale, onde estava o corpo.

A polícia não disse se tem algum suspeito, mas afirmou que até agora ninguém foi preso. "Não acreditamos num ato sem premeditação", disse o porta-voz policial Joe Avery.

O prédio onde o corpo foi encontrado é parte do complexo da escola de medicina, localizado a cerca de 1.600 metros do principal campus de Yale. O acesso ao edifício só é possível com cartões de identificação da universidade. Cerca de 75 câmeras monitoram as entradas do prédio.

Medo - Uma amiga disse que a estudante nunca demonstrou temores sobre sua segurança pessoal no trabalho, embora tenha expressado preocupações sobre a criminalidade em New Haven num artigo escrito no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.