REUTERS/Dustin Chambers
REUTERS/Dustin Chambers

Morte de jovem negro por policial em Atlanta causa protestos e renúncia

Chefe de polícia pediu demissão neste sábado após a morte de Rayshard Brooks, de 27 anos, que estava alcoolizado e tentou resistir à prisão

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2020 | 21h19

ATLANTA - Outro vídeo de um jovem negro sendo morto por um policial tornou-se viral nos EUA e levou a chefe de polícia de Atlanta, Erika Shields, a pedir demissão ontem após mais protestos contra o racismo. Policiais tinham sido enviados na sexta-feira à noite ao Wendy’s drive-thru para atender à reclamação de que um homem estava dormindo dentro de um carro na entrada do estabelecimento.

Os agentes realizaram um teste de bafômetro no homem, mais tarde identificado como Rayshard Brooks, de 27 anos, que mostrou que ele estava alcoolizado. Quando um dos agentes tentou detê-lo, Brooks começou a correr. Imagens de vigilância do Wendy’s mostram que o jovem negro de repente se virou e tentou tomar a arma de choque das mãos do policial. Neste momento, o agente tira o revólver do coldre e dispara em Brooks. 

 A prefeita de Atlanta, Keisha Lance Bottoms, disse que a chefe de polícia continuará trabalhando para a cidade, mas não revelou em qual função. Ela também afirmou que determinou a imediata demissão do policial, pois “não acredita que era justificável o uso da força letal”. Desde que a notícia sobre a morte de Brooks começou a circular na noite de sexta-feira ativistas pediram a renúncia da prefeita da cidade, que viveu intensos protestos pela morte de George Floyd em Minneapolis. Shields, que é branca e assumiu o Departamento de Polícia em 2017, será substituída por Rodney Bryant, um homem negro que recentemente foi nomeado vice-diretor do presídio da cidade. / W.POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.