Morte de observadores da ONU ´ameaça força de paz´

A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou que a morte de quatro de seus observadores no sul do Líbano poder afastar países de participarem em uma força de paz a ser mandada à região.O vice secretário-geral da ONU, Mark Malloch-Brown, disse que a entidade aceitou as desculpas de Israel pelas mortes, mas que ainda está "muito preocupado".Ele disse que as mortes eram uma ameaça "a todo o conceito da força de paz", disse."O envio de uma força de paz é uma tarefa perigosa e nós dependemos muito do apoio da comunidade internacional, e quando pessoas morrem, não é um simples acidente que se possa deixar de lado".Para Mark Malloch-Brown, Washington terá de pensar "seriamente" sobre o seu pedido para que uma força de paz multi-nacional seja enviada ao Líbano.Israel recusou o pedido da ONU para fazer uma trégua de três dias no combate no sul do Líbano, para que ajuda humanitária pudesse ser enviada à região.Para o governo de Israel a trégua é "desnecessária", pois o exército israelense já mantém corredores para o envio de ajuda humanitária, mas o coordenador de ajuda da ONU, Jan Egeland, considera os mesmos insuficientes.Neste sábado, a secretária de estado americana, Condoleezza Rice, desembarcou em Jerusalém, na sua segunda visita à região em cinco dias. Ela se encontrará com líderes israelenses e libaneses para conseguir apoio à proposta de envio de uma força de paz multi-nacional ao Líbano.O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, afirmou que os líderes mundiais discutiriam, nesta segunda-feira, o envio de uma "força de estabilização" ao Líbano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.