Morte de repórter segue impune

O caso da jornalista russa Anna Politkovskaya permanece sem solução. No mês passado, o Supremo Tribunal da Rússia anulou a absolvição de três suspeitos do assassinato da jornalista, encontrada morta no prédio onde morava em 2006. A corte ainda ordenou a abertura de novo julgamento sobre o caso. Politkovskaya era uma das maiores críticas do governo do ex-presidente Vladimir Putin e trabalhava, desde 1999, para o jornal "Novaya Gazeta". Ela chegou a pedir que o presidente checheno, Ramzan Kadyrov, fosse julgado por crimes de guerra. Filha de diplomatas soviéticos de origem ucraniana, que trabalhavam na sede da ONU, ela nasceu em Nova York, mas se mudou para Moscou ainda criança, onde estudou jornalismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.