Morteiro atinge palácio presidencial da Somália e deixa quatro mortos

Insurgentes islâmicos e forças do governo estão em conflito há oito dias na capital do país

AE-AP, Agência Estado

30 de agosto de 2010 | 20h12

Um morteiro disparado por insurgentes somalis ligados à Al-Qaeda nesta segunda-feira, 30, atingiu o palácio presidencial da Somália, matando quatro soldados ugandenses da força de paz da União Africana (UA), no momento em que choques entre insurgentes e forças que apoiam o governo entraram na segunda semana.

O morteiro também feriu oito pessoas, embora não tenha caído perto dos aposentos do presidente, disse um porta-voz da UA, o major Barigye Bahoku, que confirmou as mortes dos militares.

O ataque contra o palácio acontece uma semana após insurgentes da Al-Shabab terem atacado um hotel perto do palácio presidencial e matado 32 pessoas, incluindo quatro parlamentares somalis. Mogadiscio, a capital do país, já sofre oito dias de combates, que começaram após um porta-voz da Al-Shabab declarar que a organização havia começado uma nova guerra contra as tropas do governo somali e da UA.

A Al-Shabab, que controla muitos territórios no centro e no sul da Somália, tenta derrubar o fraco governo somali, apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU), e implantar no país inteiro uma versão mais fundamentalista do Islã. Mais de 70 civis foram mortos e 230 foram feridos desde que os combates se intensificaram em 23 de agosto, disse Ali Muse, chefe do serviço de ambulâncias de Mogadiscio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.