Mortes em série de terremotos na China chegam a 617

Em 2008 uma série de tremores deixaram cerca de 90 mil mortos e desaparecidos no país.

Efe

15 de abril de 2010 | 03h53

O terremoto e a série de réplicas que atingiram na terça, 13, e na quarta-feira, 14, a província de Qinghai, no oeste da China, mataram pelo menos 617 pessoas, como informa hoje a agência oficial de notícias Xinhua.

 

A cidade de Jiegu (Gyegu, em tibetano), com uma população de 100 mil pessoas e sede do Governo do distrito, é uma das áreas mais prejudicadas pelo terremoto, que feriu dez mil pessoas.

 

"Muita gente segue debaixo dos escombros das casas derrubadas no povoado Gyegu", explicou Huang Limin, subsecretário-geral do Governo provincial.

 

O terremoto principal, de magnitude 7,1 na escala Richter (segundo especialistas chineses), aconteceu às 7h49 (20h49 de terça, em Brasília) e teve epicentro a 33 quilômetros de profundidade.

 

Qinghai, habitada por tibetanos, mongóis, hui (muçulmanos) e chineses da etnia majoritária han, foi uma das zonas devastadas pelo terremoto que, em maio de 2008, sacudiuo norte da província vizinha de Sichuan, que deixou cerca de 90 mil mortos e desaparecidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.