Mortes no conflito do Afeganistão quadruplicam

O número de mortos este ano no conflito no Afeganistão aumentou em quatro vezes, segundo um relatório sobre a insurgência. O documento sugere que mais de 3.700 pessoas morreram neste ano, sendo que aproximadamente 1.000 deles eram civis. A informação é da BBC Inglaterra. O relatório foi divulgado no mesmo dia em que funcionários do governo afegão afirmaram que as tropas afegãs e da Otan mataram 60 guerreiros talebans nesta segunda-feira. Ao mesmo tempo, uma delegação da ONU em visita ao país disse que os líderes afegãos enfrentam enormes desafios cinco anos após a queda do regime Taleban. Desenvolvimento travado O estudo da situação no Afeganistão foi compilado por um quadro conjunto de coordenação e monitoramento, composto pelo governo afegão, seus principais apoiadores estrangeiros e pela ONU. O documento afirma que mais de 3.700 pessoas foram mortas desde janeiro deste ano e que a freqüência de incidentes de segurança relacionados a terroristas ou insurgentes quadruplicaram para 600 por mês. Aparentemente, a maioria das mortes é de insurgentes, mas estima-se que mais de mil civis também tenham sido mortos neste ano, além de membros do Exército do Afeganistão, da força internacional de segurança liderada pela Otan, e de um contingente separado de soldados dos EUA. A deterioração da segurança tem impedido o trabalho de desenvolvimento humanitário vital e forçou o fechamento de escolas no sul. O relatório também destaca a corrupção e diz que a alienação do povo afegão dificulta o trabalho daqueles que lutam contra a insurgência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.