Mortes pela epidemia de cólera no Haiti passam de 2 mil

Departamento com o maior número de vítimas é o de Artibonite, no norte do país

Efe,

06 de dezembro de 2010 | 18h33

PORTO PRÍNCIPE - Ao menos 2.071 pessoas morreram por causa da epidemia de cólera no Haiti, segundo os dados do último relatório sobre a evolução da doença, publicado nesta segunda-feira, 6.

 

Veja também:

link Sobe para 20 o número de casos na República Dominicana

 

O único departamento que não havia registrado mortes era Nippes (sudoeste), que agora soma duas mortes, segundo um boletim do Ministério da Saúde Pública e População (MSPP), datado de 3 de dezembro.

O número de pessoas atendidas com a doença supera 91.770, das quais 43.243 foram hospitalizadas e 41.806 receberam alta. A cólera apresenta uma mortalidade global de 2,3%, segundo o ministério.

Com 791 mortes, o estado de Artibonite é o mais atingido pela epidemia, seguido do Norte, com 368, e do oeste, que inclui a capital, Porto Príncipe, com 319 vítimas.

Na República Dominicana, separada do Haiti por uma fronteira de mais de 300 quilômetros, foram declarados 16 casos de cólera, mas nenhuma morte. O último caso registrado foi o de um motorista de 39 anos que tem contato frequente com haitianos que cruzam a fronteira entre os países.

A República Dominicana iniciou, na semana passada, uma campanha nacional de luta contra a cólera, na qual está prevista a visita a um milhão de famílias para oferecer informação preventiva sobre a doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.