Mortes são atualizadas todo dia

É uma rotina macabra. Praticamente todos os dias, jornalistas recebem comunicados das forças internacionais no Afeganistão sobre a morte de militares, a maioria em explosões de bombas colocadas nas estradas. Ao longo do dia de ontem, foram três comunicados: primeiro três militares, depois um civil a serviço deles, e no final mais um militar.O porta-voz das Forças Internacionais de Assistência à Segurança (Isaf, em inglês) tem o cuidado de não repetir os textos literalmente. Mas, com variações, transmite suas "mais profundas condolências às famílias e entes queridos desses soldados, que enfrentam suas perdas trágicas", e lembra que "esses soldados fizeram o mais alto sacrifício para ajudar a dar uma chance ao povo afegão de melhorar sua qualidade de vida". As nacionalidades dos mortos só são informadas depois que suas famílias foram avisadas.No total, mais de 1.300 militares estrangeiros morreram desde o início do conflito. As mortes foram intensificadas a partir do ano passado pelo uso de explosivos nas estradas pelos insurgentes e pelas operações para forçar sua retirada de áreas por eles ocupadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.