Morto egípcio ligado a atentados a embaixadas dos EUA

Um membro da Al-Qaeda, procurado por sua suposta participação nos bombardeios que atingiram embaixadas americanas no Leste da África, foi morto por forças paquistanesas em um ataque perto da fronteira com o Afeganistão, divulgou um ministro do Gabinete Paquistanês nesta quinta-feira, 13.O egípcio Mohsin Musa Matawalli Atwah, de 45 anos, que figurava na lista dos terroristas mais procurados do FBI, foi morto junto com mais seis outros militantes em um ataque feito por helicópteros na noite desta quarta na remota vila de Naghar Kalai, perto da fronteira afegã, disse o ministro, que permaneceu anônimo em decorrência da sensibilidade da situação. Outro oficial da inteligência paquistanesa disse que os relatórios militares indicaram que Atwah foi morto no ataque, juntamente com os militantes e duas crianças. Ele também não quis se identificar. Nenhum deles especificou como sabiam que Atwah morreu. Autoridades e moradores da vila disseram que homens armados levaram os corpos depois do ataque.Autoridades americanas ofereceram uma recompensa de US$ 5 milhões por Atwah, acusado de envolvimento nos bombardeios de 7 de agosto de 1998 nas embaixadas na Tanzânia e no Quênia que mataram mais de 200 pessoas, incluindo 12 americanos. Oficiais do FBI em Washington e diplomatas americanos e egípcios em Islamabad não souberam confirmar se Atwah havia sido morto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.