Mortos em ataque suicida no Paquistão sobem para 38

Um ataque suicida matou 38 pessoas e deixou mais de 50 feridas durante o funeral de um policial paquistanês nesta quinta-feira, véspera do festival muçulmano do Eid al-Fitr, que marca o fim do mês sagrado do Ramadã. Segundo autoridades, o policial fora morto a tiros, na frente de seus filhos.

Agência Estado

08 de agosto de 2013 | 16h56

O ataque foi o mais recente de uma série de atentados que destacam a queda na segurança desde que o novo governo assumiu.

"Pelo menos 38 pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas", disse o policial Mohammad Tariq à agência France Presse. "A maioria dos mortos e feridos é policial", afirmou ele.

O funeral era realizado num campo aberto, do lado de fora de uma mesquita em Quetta, capital da província do Baluquistão. Cerca de 250 pessoas estavam no local.

Fayaz Sumbal, chefe das operações policiais no Baluquistão, percebeu o suicida nas proximidades do portão da mesquita, antes de ele detonar os explosivos, informou o policial Mohammed Aslam. Sumbal pediu que oficiais interrogassem o homem, que então detonou os explosivos que levava junto ao corpo. Sumbal morreu na explosão.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo ataque, mas as suspeitas recaem sobre militantes islâmicos que vivem na província. O Baluquistão também abriga separatistas que lutam contra o governo há décadas, mas raramente realizam ataques suicidas. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoataquesuicidapolicial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.