Mortos em atentados no sul de Israel chegam a 6

Uma série de ataques coordenados contra pelo menos um ônibus de passageiros e vários carros no sul de Israel matou pelo menos seis pessoas nesta quinta-feira, informaram autoridades. Em entrevista à rádio pública, o porta-voz do serviço de emergências do país, Eli Bin, disse que quatro dos mortos estavam em um carro particular. Não estava ainda claro onde as outras duas pessoas haviam morrido. Segundo funcionários israelenses, mais de 10 pessoas ficaram feridas.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2011 | 10h31

O ministro da Defesa, Ehud Barak, acusou a Faixa de Gaza de estar por trás dos ataques coordenados e afirmou que Israel reagirá. "A fonte dos incidentes terroristas é Gaza e nós vamos agir contra eles com toda nossa força e determinação", afirmou Barak em comunicado, aparentemente referindo-se a militantes na faixa costeira. Gaza é controlada pelo grupo islâmico Hamas.

O Hamas, porém, negou qualquer papel nos ataques múltiplos. "O governo palestino nega as acusações feitas por Barak sobre a operação em Eilat e afirma que não há relação entre a Faixa de Gaza e o que ocorreu perto de Eilat", disse o porta-voz do Hamas Taher al-Nunu à France Presse.

Os mortos foram vítimas de uma série de ataques com tiros e bombas lançados contra veículos no deserto de Arava, no sul do país, perto de Eilat. Mais cedo, os militares israelenses informaram sobre pelo menos três ataques consecutivos na área, próxima da egípcia Península do Sinai.

Os ataques desta quinta-feira tiveram como alvos um ônibus de passageiros, um carro particular e um grupo de soldados, segundo o Exército. Um porta-voz militar, o brigadeiro Yoav Mordechai, disse que as forças de segurança perseguiram alguns dos agressores e trocaram tiros com eles. Segundo o porta-voz, os autores dos ataques usaram armas pesadas, possivelmente morteiros ou armas antitanques, além de explosivos.

"Nós estamos falando sobre um esquadrão terrorista que se infiltrou em Israel", afirmou uma porta-voz militar, a coronel Avital Leibovich. "Este é um ataque terrorista combinado contra os israelenses."

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelviolênciaataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.