Mortos em colapso de ponte chinesa sobem para 36

Funcionário diz que construção cedeu por falta de barras de aço na estrutura ; 30 pessoas estão desaparecidas

REUTERS

15 de agosto de 2007 | 08h03

Uma ponte que desabou na China, matando pelo menos 36 pessoas, cedeu porque aparentemente não havia barras de aço de reforço, informou um trabalhador da equipe de resgate, segundo a mídia estatal nesta quarta-feira.Mais de 1.500 pessoas trabalham na busca por cerca de 30 vítimas desaparecidas, após o desastre de segunda-feira na ponte de 320 metros de extensão sobre o rio Tuo, que estava prestes a ser finalizada no província de Hunan, no sul do país, informou o Pequim News.As agências de segurança e qualidade no trabalho estão investigando a causa do desabamento, mas um trabalhador das equipes de resgate disse que a ponte foi construída principalmente com pedras e concreto."Nenhuma barra de reforço de aço foi vista nos apoios da ponte que desabou. Foi como uma faca cortando um tofu", afirmou Hou Jiaping.As equipes têm pouca esperança de encontrar sobreviventes. As autoridades de saúde estão lançando desinfetante na água para prevenir a propagação rio abaixo de doenças causadas pelos corpos. As 22 pessoas que se feriram, a maioria composta por trabalhadores da ponte, estavam em estado de choque, informou o jornal."Como toda a ponte e os pilares desabaram, vai ser difícil para as equipes de resgate encontrar ou salvar pessoas soterradas nos destroços", informou o vice-diretor de resgate, Luo Ming, acrescentando que eles tiveram de explodir o concreto para remover corpos.A maior parte do condado de Fenghuang teve o fornecimento de água cortado desde o acidente, já que o desabamento afetou canos de água.A polícia deteve um gerente de construção e um supervisor de projeto para interrogatório. O premiê Wen Jiabao fez um apelo para que o governo local lide com a questão de forma "séria", afirmou o diário.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAPONTEMORTOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.