Mortos em massacre na Rússia passam de 340

Mais de 340 pessoas morreram no desfecho trágico da tomada de reféns na escola de Beslan, na república russa da Osétia do Norte, informou o procurador-geral da Rússia, Serguei Fridinski. Entre os mortos há 155 crianças e 26 terroristas. Um balanço dos funcionários dos hospitais da região indica que pelo menos 531 pessoas foram hospitalizadas, das quais 336 eram crianças. "Acho que o número de mortos vai aumentar, mas não muito", explicou Fridinski. Estimativas extra-oficiais indicam que o comando terrorista que reivindicava a retirada das tropas russas da Chechênia havia feito cerca de 1.200 reféns na escola - e não 350 como diziam as autoridades. Por se tratar do primeiro dia de aula, havia uma festa à qual compareceram os pais dos alunos. Todos foram amontoados no ginásio pelos rebeldes. O seqüestro durou 52 horas, e os combates após a invasão da escola se prolongaram por mais 10. O grupo Brigadas Islambouli, que se responsabilizou pela derrubada de dois aviões russos na semana retrasada, negou num site na internet ter realizado esse ataque, mas afirmou que a ação era "justa" e indicou que foi realizada por separatistas chechenos. O enorme número de mortos numa cidade de 30 mil habitantes faz com que poucas famílias não tenham perdido um parente ou amigo ou tenha alguém internado nos hospitais locais ou da capital, Vladikavkaz.Leia mais ?Mostramos fraqueza e os povos fracos apanham?, diz Putin Mais de 300 corpos retirados de escola russa Putin fecha Ossétia do Norte para caçar terroristas 200 reféns e 27 terroristas mortos em escola russa Rússia diz que terror foi financiado pela Al-QaedaLíderes mundiais condenam terrorismo Termina o combate em escola russa Dez seqüestradores morreram, dizem autoridades russas?Eles tinham olhar de pessoas loucas?, diz refém Pelo menos 30 pessoas conseguem fugir da escola russa Seqüestro na Rússia é um dos mais trágicos da história recente

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.