Mortos no atentado no Afeganistão incluem 59 crianças

Pelo menos 75 pessoas morrem no pior atentado promovido no país desde 2001, incluindo seis deputados

Efe,

09 de novembro de 2007 | 10h09

Cinco professores e 59 estudantes estão entre as 75 pessoas que morreram no atentado de terça-feira contra uma comitiva parlamentar no norte do Afeganistão, informou nesta sexta-feira, 9, o Ministério de Educação. O ataque na província de Baghlan foi o mais sangrento desde a queda do regime Taleban. Também ficaram feridos 96 estudantes, disse à Efe o porta-voz do Ministério, Zuhor Afghan, que acrescentou que os alunos tinham de 8 a 18 anos. As outras vítimas foram seis deputados e cinco guarda-costas. Entre os mortos e feridos não há nenhuma menina. O Ministério da Educação já ordenou que as escolas não permitam que nenhum estudante participe de qualquer tipo de ato ou reunião política, segundo o porta-voz. A bandeira afegã ainda tremula a meio mastro, em sinal de luto pelas vítimas do brutal atentado terrorista. O presidente afegão, Hamid Karzai, responsabilizou os "inimigos do Afeganistão". O governo usa a expressão para se referir aos taleban, que negaram a autoria do atentado. O ataque aconteceu na terça-feira, quando uma explosão atingiu uma comitiva de deputados que visitava a região e que foram recebidos por vários estudantes reunidos numa fábrica de açúcar.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.