Mortos no haj são 363, incluindo 85 mulheres

Cerca de 600.000 peregrinos islâmicos estavam espremidos na entrada de um local sagrado, numa densidade de quatro pessoas por metro quadrado, quando alguém tropeçou numa bagagem, provocando um esmagamento que deixou 363 mortos, incluindo pelo menos 85 mulheres, informa o Ministério do Interior saudita. Forças de segurança intervieram minutos depois do início da correria para liberar o engarrafamento humano, disse o porta-voz general Mansour al-Turki, numa entrevista coletiva. "Forças de segurança foram alertadas do incidente imediatamente, e entraram em ação em minutos", disse ele.Dos 363 mortos, 203 foram identificados - entre eles, 118 homens e 85 mulheres, disse o general. Cerca de 289 pessoas ficaram feridas, mas al-Turki afirmou que apenas 45 continuam hospitalizadas. O esmagamento ocorreu na rampa principal que leva à Jamarat, plataforma na qual ficam três pilares representando o demônio. Peregrinos apedrejam os pilares, para purificação dos pecados.Hoje, centenas de peregrinos preocupados amontoaram-se diante de um painel com fotografias montado num centro médico, procurando imagens de entes queridos que estejam entre os mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.