Mortos podem ser mais de 100

O número de mortos durante o tumulto que se seguiu às eleições iranianas pode passar de 100 - pela contagem oficial, foram apenas 20 mortos. Grupos de defesa dos direitos humanos acusam Teerã de ocultar cadáveres em necrotérios secretos para mascarar a contagem das vítimas e de ameaçar as famílias de desaparecidos.As suspeitas aumentaram depois que uma testemunha afirmou ter visto cadáveres empilhados em um depósito refrigerado. Uma outra mulher teria visto fotos de 50 a 60 pessoas mortas enquanto procurava pelo filho desaparecido.A Campanha Internacional pelos Direitos Humanos no Irã acusou o governo de intimidar as famílias. No entanto, a verdade tem emergido a partir de estatísticas de hospitais e de depoimentos de famílias que se recusam a manter o silêncio, disse a entidade."É difícil estabelecer um número preciso de mortos porque a maioria das famílias envolvidas tem medo de falar", disse Aaron Rhodes, diretor da campanha. "Mas se somarmos o que dizem algumas famílias, o relato de testemunhas e os dados de hospitais, os mortos podem superar a marca de uma centena." Apenas no dia 20 de junho, três hospitais de Teerã relataram um total de 34 manifestantes mortos em seus necrotérios. As autoridades admitiram apenas 11 mortes naquele dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.