Mortos por homem vestido de Papai Noel sobe para 9

A polícia da Califórnia informou hoje que aumentou para nove o número de mortos por um atirador vestido de Papai Noel num distrito normalmente tranqüilo de Los Angeles. Bruce Pardo, de 45 anos, um homem frustrado por um recente divórcio, invadiu a festa de Natal de seus ex-sogros, na quarta-feira à noite, abriu fogo contra os convidados e ateou fogo na casa. Pouco depois, ele se matou a vários quilômetros do local do massacre. Acredita-se que a ex-mulher de Pardo e os pais dela estejam entre os mortos, mas, até a tarde de hoje nenhum dos cadáveres carbonizados do massacres tinham sido formalmente identificados.A chacina teve início quando uma garota de oito anos abriu a porta depois que Pardo, usando uma fantasia de Papai Noel, tocou a campainha. Ele então sacou uma pistola e disparou à queima-roupa no rosto da menina. Em seguida começou a atirar indiscriminadamente contra os cerca de 25 convidados, que tentavam fugir. Três feridos, incluindo a garota que recebeu o disparo inicial, estão no hospital e a expectativa é de que sobrevivam.Depois de invadir a casa, Pardo incendiou a residência utilizando um dispositivo de fabricação caseira que lançava líquido inflamável. As autoridades de Los Angeles informaram que Pardo não tinha antecedentes criminais nem histórico de ser violento. Mas relatos de testemunhas indicaram à polícia que ele estava revoltado com acordo de divórcio, fechado na semana passada, após um casamento de apenas um ano. "Não foi um divórcio amigável", disse o tenente da polícia Pat Buchanan.Depois da chacina, Pardo tirou a fantasia de Papai Noel, entrou em seu carro e seguiu para a casa do irmão, a 40 quilômetros de Los Angeles, no subúrbio de Sylmar. Não havia ninguém na casa e, quando a polícia, chegou Pardo estava morto, com um tiro na cabeça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.