Mortos por tremor e tsunami no Pacífico chegam a 75

O número de mortes confirmadas após o forte terremoto e o tsunami que atingiram o Pacífico Sul havia subido para 75 até o final da terça-feira e as autoridades disseram que o total deve aumentar ainda mais. Já foram registradas 47 mortes em Samoa, 22 na vizinha Samoa Americana, próximo ao epicentro do tremor de 8 graus na escala Richter, e mais 6 mortes na ilha de Tonga.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

30 de setembro de 2009 | 06h17

Outras dezenas de pessoas estão desaparecidas e supostamente mortas, mas as autoridades das três ilhas disseram que as comunicações para muitos vilarejos distantes foram interrompidas. É provável que o número de mortos chegue a 100 ou um pouco mais", estimou Russell Hunter, editor do jornal Samoa Observer.

Na Samoa Americana, a cerca de 100 quilômetros de Samoa, o diretor de Segurança Nacional, Michael Sala, disse que a maior parte dos estragos foi provocada pelo tsunami que chegou à ilha cerca de 20 minutos depois do terremoto. A parede de água, cuja altura ele estimou em 7,5 metros, avançou terra adentro demolindo edifícios. A parte oriental da Samoa Americana ficou sem água e energia após o abalo, que foi sentido às 6h48 (hora local, 14h48 de Brasília).

Em Tonga, funcionários do governo disseram que houve seis mortos e quatro desaparecidos na pequena ilha de Niuatoputapu. Os funcionários voaram sobre a ilha a partir da capital, Nuku''alofa, mas não conseguiram pousar por causa da destruição dos campos de pouso. Eles disseram que fariam nova tentativa à noite, pelo mar, para avaliar a extensão dos danos.

O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou a ocorrência de um "grave desastre" na Samoa Americana. "O presidente declarou esta noite que um há grave desastre no território da Samoa Americana e ordenou ajuda federal para suplementar os esforços locais de recuperação na área atingida por um terremoto, tsunami e inundação", informou um comunicado da Casa Branca. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Pacíficotsunami

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.