Mosaico da Saúde

Em 18 de novembro, democratas do Senado apresentaram sua versão da legislação do sistema de saúde, que o trabalho das comissões de Saúde e Finanças. Os legisladores da Câmara

, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2010 | 00h00

votaram por 220 a 215 para aprovar uma reforma radical no sistema de saúde dos Estados Unidos. Os democratas do Senado ainda estão trabalhando para fundir os projetos de reforma das duas comissões. Um panorama de como as medidas se comparam em algumas questões-chave:

Versão da Câmara

Incluiria obrigatoriedade. Multa: 2,5% da renda bruta corrigida sobre um certo nível, que é de US$ 9.350 para solteiros e US$ 18.700 para casais. São isentos os que têm renda abaixo dos patamares mencionados, índios americanos, pessoas com objeções religiosas e pessoas que possam demonstrar dificuldades financeiras

Comissão de Saúde do Senado

Incluiria obrigatoriedade.Multa: Até US$ 750 por ano por pessoa. São isentos os índios

americanos e os que puderem demonstrar dificuldades

financeiras

Comissão de Finanças do Senado

Incluiria obrigatoriedade.A multa seria aplicada gradualmente: US$ 200 por pessoa em 2014; US$ 400 em 2015; US$ 600 em US$ 2016; e US$ 750 em 2017. São isentos os índios americanos, pessoas com objeções religiosas, os que puderem demonstrar dificuldades financeiras, famílias com renda abaixo de 133% do nível federal de pobreza (US$ 29.327 para uma família de quatro) e pessoas que teriam de pagar mais de 8% de sua renda para adquirir o plano de custo mais baixo

Casa Branca

Aberta a alguma obrigatoriedade desde que as pessoas que não conseguirem pagar o seguro fiquem isentas. Durante a campanha, o presidente Barack Obama propôs a obrigatoriedade somente para crianças. "Estou aberto a suas ideias sobre responsabilidade compartilhada. Mas acredito que se vamos tornar as pessoas responsáveis por possuir um seguro-saúde, precisamos tornar a assistência médica financeiramente acessível" - Carta de Obama a líderes do Senado

Grupos de interesses

America"s Health Insurance Plans, o lobby das seguradoras, apoia as obrigações individuais. Mas a associação comercial diz que as multas por ficar sem cobertura são modestas no projeto da Comissão de Finanças do Senado. Isso cria "um poderoso incentivo para as pessoas esperarem até ficar doentes para comprar a cobertura", e faria aumentar os prêmios de seguros, advertiu

a associação. Companhias farmacêuticas e seguradoras poderiam se beneficiar com a obrigatoriedade, que poderia proporcionar milhões de novos clientes. Sindicatos e grupos de defesa do consumidor apoiam a obrigatoriedade desde que empregadores ajudem a pagar a cobertura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.