Moscou condena ataque ao Iraque

O governo da Rússia "condena terminantemente as ações dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, cujos aviões - como se informou hoje em Bagdá - realizaram outro ataque com mísseis no norte do Iraque". A condenação foi feita nesta quarta-feira por "fontes diplomáticas" russas à imprensa local. As fontes defenderam que devem cessar imediatamente "as atividades de patrulhamento" feitas pelos aviões anglo-americanos. No ataque denunciado por Bagdá, mas negado por Washington e Londres, 23 pessoas teriam morrido e 11 ficado feridas. As ações anglo-americanas têm como único objetivo "bloquear a solução do problema iraquiano", acrescentaram as fontes, que recordaram que as zonas de exclusão aérea foram estabelecidas pelos Estados Unidos e Grã-Bretanha "passando por cima do Conselho de Segurança da ONU, e são ilegítimas do ponto de vista do direito internacional". Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha continuam com suas ações de força contra o Iraque apesar da oposição da maioria dos membros da comunidade internacional, acrescentaram as fontes. A televisão russa informou, citando fontes iraquianas, que um míssil lançado pelos aviões anglo-americanos matou 23 pessoas e feriu outras 11 durante uma partida de futebol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.