Moscou diz que EUA buscam testar arma espacial

O governo russo acusou ontem os EUA de usarem o plano para derrubar um satélite espião avariado como desculpa para testar uma arma anti-satélites. "Especulações sobre o risco da queda do satélite escondem preparações para o teste de uma nova arma. Esse tipo de teste significa essencialmente a criação de um novo tipo de armamento estratégico", segundo um comunicado do Kremlin citado pela agência de notícias ?Itar-Tass?. O governo americano alega que o satélite perdeu comunicação e energia após ser lançado em dezembro de 2006 e disse não ter mais como controlá-lo. Como o satélite ainda carrega mais 454 quilos de combustível hidrazina, um composto químico tóxico, autoridades americanas dizem temer que o produto cause contaminação, caso o satélite caia de volta na Terra.Como não há meios para se prever onde o satélite cairia, Washington decidiu destruí-lo, usando um míssil modificado que será lançado de um navio no Oceano Pacífico. De acordo com o general americano James Cartwright, uma vez que o satélite seja destruído, seus destroços queimarão quando entrarem na atmosfera terrestre.O desenvolvimento de armas espaciais vem-se tornando cada vez mais uma preocupação para as potências mundiais. Na quarta-feira, Rússia e China apresentaram em Genebra, na Suíça, uma proposta para um acordo internacional proibindo armas no espaço. O plano, clara tentativa para frear o poderio militar americano, prevê que nenhum país poderá instalar armas no espaço nem ameaçar naves e satélites estrangeiros. No encontro, o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, alertou para o risco da utilização militar do espaço, afirmando que isso pode levar a uma nova Guerra Fria e uma corrida armamentista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.