Moscou e Seul ajudarão a Coréia do Norte na crise nuclear com os EUA

A Rússia e a Coréia do Sul consideraram neste domingo, durante uma reunião em Moscou, a possibilidade de oferecer à Coréia do Norte garantias de segurança a fim de solucionar a crise por causa da retomada do programa nuclear norte-coreano, informou a agência russa Interfax, citando fontes diplomáticas.Segundo a agência russa, a possibilidade de tais garantias em troca de passos recíprocos da Coréia do Norte sobre o programa nuclear foi discutida entre o ministro adjunto de Relações Exteriores da Coréia do Sul, Kim Hang-kyung, e os vice-chanceleres russos, Alexander Losyukov e Georgi Mamedov. "Em princípio, a idéia de uma garantia coletiva à Coréia do Norte pelos países envolvidos teria importância na evolução posterior, mas neste caso a iniciativa perderia força se os EUA não fizerem parte dos países garantidores", disse Ki.De acordo com a Coréia do Sul, a Rússia prometeu usar a influência com a Coréia do Norte para acabar com o impasse com os EUA. O enviado sul-coreano disse, após o encontro de mais de duas horas, que "eles (os russos) conversarão com a Coréia do Norte e discutirão (um fim pacífico para a crise)".Kim disse não saber se a Rússia pretendia mandar algum enviado a Coréia do Norte, mas aparentemente Losyukov descartou essa possibilidade: "Eu não chamaria isso de mediação. Chamaria de trabalho diplomático em diferentes níveis", disse o vice-chanceler russo.A Rússia, que condenou os "emocionais ataques" contra a Coréia do Norte, é o único membro do Grupo dos Oito - formado pelos principais países industrializados do mundo - com bom relacionamento tanto com a Coréia do Norte como a do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.