Moscou e Teerã encerram reunião sem acordo sobre a oferta russa

A Rússia e o Irã concluíram hoje sem um acordo a primeira rodada de negociações sobre a iniciativa do Kremlin de enriquecer urânio em território russo para abastecer as centrais nucleares iranianas. As negociações, que transcorreram a portas fechadas no Kremlin durante quatro horas, podem prosseguir amanhã caso os países decidam continuar as reuniões para aproximar suas posições.Para Serguei Lavrov, o ministro de Assuntos Exteriores da Rússia que se opôs à imposição de sanções contra Teerã, a suspensão das atividades nucleares do Irã permitiria obter acordos aceitáveis para todas as partes. "É importante que o Irã retome a moratória de enriquecimento de urânio em seu território e mantenha as negociações com as partes interessadas", disse ele.Segundo Lavrov as conversas continuam em Moscou e falar de resultados é prematuro. O ministro indicou esperar que o resultado do diálogo mantenha o tema na pauta da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).A delegação iraniana é liderada pelo subsecretário do Conselho Supremo de Segurança, o general Ali Hosseini Tash, que na chegada à capital russa jogou um balde de água fria sobre as expectativas em relação a um acordo. "Não existe conexão entre a moratória de enriquecimento de urânio e as negociações sobre a oferta russa", disse o negociador iraniano.A suspensão é uma das principais divergências entre Teerã e Moscou, já que o Kremlin defende que o Irã a declare como gesto de "boa vontade" com o Ocidente enquanto a oferta russa é negociada.No entanto, o ministro de Assuntos Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, afirmou hoje em Bruxelas que Teerã não tem intenção de renunciar ao "direito soberano" de realizar pesquisas nucleares em seu território independentemente de um acordo com a Rússia.Estas afirmações levaram alguns analistas a duvidar do interesse de Teerã pela proposta russa e a considerar que o Irã pode estar simplesmente "ganhando tempo" enquanto afirma que a oferta necessita de mudanças, mas não faz propostas para melhorá-la.Segundo fontes russas, Teerã poderia optar por uma proposta da AIEA que permitiria ao país enriquecer urânio de forma restrita, em troca de garantias de que a produção não atinja larga escala.Lavrov se mostrou otimista em relação à apresentação do relatório da AIEA a ser feita pelo diretor-geral da entidade, Mohamed El Baradei, ao Conselho de Segurança da ONU em 6 de março e prometeu que a Rússia "fará tudo o que estiver a seu alcance para evitar um agravamento da situação" e o uso da força.Caso as negociações continuem amanhã, seria entre os analistas, sem a participação do negociador iraniano e do subsecretário do Conselho de Segurança da Rússia, Alexandr Sobolev.A iniciativa do Kremlin é considerada a última oportunidade de solucionar a crise nuclear com uma iniciativa da AIEA e evitar a imposição de sanções ao regime iraniano pelo Conselho de Segurança da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.