Moscou pede que Pyongyang opte pelo diálogo e não pelo confronto

A Rússia pediu nesta quarta-feira que a Coréia do Norte ouça os apelos da comunidade internacional e opte pelo diálogo, e não pelo "confronto nuclear", para solucionar a crise."Esperamos que os norte-coreanos entendam de forma construtiva a preocupação da comunidade mundial com o seu teste atômico", declarou o Ministério de Relações Exteriores da Rússia.O comunicado expressa a esperança de que o regime de Pyongyang "tome a decisão racional de buscar uma saída da complicada situação atual através das negociações pacíficas, e não do confronto nuclear".Moscou repetiu o pedido a Pyongyang que retorne o mais cedo possível às negociações de seis lados.A Chancelaria russa afirmou também que "os demais participantes das negociações devem cumprir a declaração conjunta de 19 de setembro de 2005".Na declaração, aprovada na quarta rodada de negociações, a Coréia do Norte se comprometia a abandonar seu programa nuclear.Além disso, EUA e Coréia do Norte se comprometeram a respeitar a soberania mútua e a coexistir pacificamente.A Chancelaria não comentou a possibilidade de um possível novo teste nuclear na Coréia do Norte e se limitou a dizer que a Rússia já condenou o primeiro teste.Quanto à reação da Coréia do Norte, que considerou a resolução do Conselho de Segurança da ONU "uma declaração de guerra", um porta-voz ministerial russo disse à agência Interfax que "cada país reage aos acontecimentos de acordo com as condições concretas e seus interesses".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.