Moscou reabre processo sobre morte de Politkovskaya

Assassinato volta a ser investigado a pedido da família e da revista onde a jornalista trabalhava

Efe

05 de agosto de 2009 | 04h58

O Tribunal Militar de Moscou reabrirá nesta quarta-feira, 5, o processo judicial sobre o assassinato da jornalista russa Anna Politkovskaya, depois que o Supremo anulou em junho a sentença que absolvia os quatro acusados no caso.

 

A primeira audiência preliminar do novo processo acontece a partir das 11h (5h em Brasília) e será pública, segundo agências de notícias russas.

 

A corte militar abordará nesta quarta-feira e nos próximos dias questões como o pedido da família de Politkovskaya e da revista Nóvaya Gazeta, onde ela trabalhou de 1999 até sua morte, em 2006, de reabrir a investigação do assassinato.

 

O diretor da Nóvaya Gazeta, Dmitri Murátov, assegurou na terça-feira, 4, que a resolução do caso depende exclusivamente da "vontade política" das autoridades, já que "a cada dia aparecem novas informações" sobre o assassinato.

 

Tanto a família como a revista em que a jornalista trabalhava insistem que o processo judicial deve esclarecer não só quem matou, mas também quem encomendou o assassinato de Politkovskaya.

O assassinato de Politkovskaya, que nasceu em Nova York em 1958, aconteceu no momento em que a jornalista preparava um artigo sobre as torturas na Chechênia, que acabou publicado por seus colegas cinco dias após sua morte.

 

Em meados de julho, foi assassinada Natália Estemírova, uma colega e amiga da repórter que atuou ao lado dela em trabalhos que denunciavam violações dos direitos humanos no Cáucaso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.