Moscou vende a Caracas aviões avaliados em US$ 1 bilhão

Rússia e Venezuela fecharam um contrato de venda de aviões e helicópteros militares russos avaliado em mais de US$ 1 bilhão, anunciou nesta sexta-feira o ministro da Defesa russo, Serguei Ivanov. "O contrato está fechado. Tanto para a entrega de 30 caças Su-30 como de outros 30 helicópteros", disse Ivanov em entrevista coletiva, reproduzida pela agência "Interfax".Ivanov acrescentou que "a soma do contrato supera 1 bilhão daquilo (dólares) que não se pode dizer", em alusão à decisão da Duma de proibir os altos funcionários de mencionar outras divisas que não sejam o rublo.O ministro acrescentou que "o contrato foi fechado depois que dois aviões Su-30 com turbinas Saliut chegaram a Caracas após dez horas de vôo e retornaram a Moscou sem problemas"."Esta é a melhor publicidade para um avião e seus motores. O cliente depois disso praticamente não tem mais dúvidas", disse.Caracas anunciou que a cerimônia oficial de assinatura do contrato será realizada durante a visita oficial do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, à Rússia na próxima semana.Chávez assegurou que seu governo decidiu comprar aviões de combate russos devido à "negativa" dos Estados Unidos em vender as peças para os F-16 que a Venezuela comprou do país há mais de 20 anos.O ministro da Defesa venezuelano, almirante Orlando Maniglia, elogiou recentemente as qualidades do Sukhoi Su-30, que "foi eleito para ser a espinha dorsal da aviação venezuelana do século XXI".SubstituiçãoO caça russo substituirá paulatinamente os F-16 americanos e os Mirage-50 franceses, com mais de 20 anos de uso.Maniglia, ao destacar as qualidades dos aviões russos, falou sobre a manobra feita pela Su-30 em que o caça sobe verticalmente até perder impulso e ficar por alguns instantes suspenso no ar, para depois retomar o vôo.A Venezuela já comprou no ano passado da Rússia dez helicópteros dos modelos Mi-17, Mi-26 e Mi-35, além de cem mil fuzis Kalashnikov AK-103.O chefe do Estado-Maior do Exército russo, general YuriBaluyevski, afirmou recentemente que a Rússia está disposta a vender armamento moderno à Venezuela apesar das reservas dos Estados Unidos.Baluyevski insistiu que a venda de caças Sukhoi "não está sujeita a nenhum tipo de restrição", por isso a Rússia é livre para vendê-los a qualquer país do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.