Mossul e Kirkuk temem violência e adotam toque de recolher

Com o intuito de conter a crescente onda deviolência, as autoridades iraquianas impuseram neste sábado toques derecolher nas cidades de Mossul e Kirkuk, localizadas ao norte deBagdá, informaram fontes locais. Em Mossul, 400 quilômetros ao norte da capital, a medida foiordenada por seu prefeito, Derid Kachmula, em resposta a ataques degrupos armados em várias regiões da cidade, disseram as fontes, quenão especificaram quanto tempo o toque de recolher vai vigorar. Alguns habitantes de Mossul disseram à EFE que ouvem intensostiroteios desde o começo da manhã e que tropas americanas seposicionaram nas saídas da cidade, sobretudo na que leva àlocalidade de Tal Afar, no oeste do país. "Os confrontos começaram quando tropas e policiais iraquianosrepeliram grupos armados que planejavam atacar a sede daAdministração", disse à EFE e o general-de-brigada Motaa al-Jazeryi,que não soube responder se os tiroteios deixaram vítimas. Segundo seu relato, os combates se estenderam posteriormente abairros localizados no norte, no oeste e no leste da cidade, porisso foi preciso recorrer à ajuda de forças americanas. Poucas horas depois, as autoridades de Kirkuk também impuseram umtoque de recolher na cidade após a onda de atentados comcarros-bomba que esta manhã deixou três mortos e 24 feridos, segundoa última contagem de vítimas. Já nas cidades santas xiitas de Najaf e Kufa, cerca de 180quilômetros ao sul de Bagdá, as autoridades decidiram suspender otoque de recolher diurno imposto na quinta-feira. A medida continuará vigorando entre o anoitecer e o amanhecer,explicaram fontes de Najaf. O toque de recolher foi imposto nessas duas cidades depois damorte de mais de 200 militantes radicais xiitas na região de Zarka,no domingo passado, em confrontos com as forças iraquianas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.