Mosul tem o primeiro conselho municipal do Iraque

Em um quarto aglomerados e decorado com rosas de plástico, o conselho municipal de Mosul debateu a ordem do dia: a possível substituição do diretor da universidade local e a disputa árabe-curda quanto a agricultura.Para o conselho, proclamado como o primeiro organismo eleito no pós-guerra, o mais importante não foram os temas debatidos mas o feito mesmo do debate. ?Democracia em ação. É magnífico´´, disse o major David Petraeus, comandante da 101ª Divisão Aerotransportada do Exército norte-americano, que contribuiu a criar o Conselho. ?Havia muitos gritos mas nenhuma bala´´, comentou Petraeus. ?é um experiência inacreditável de presenciar e participar´´.A instituição do conselho é um passo na tentativa de criar uma democracia no país entre a população que viveu toda uma geração sob o regime de Saddam Hussein. Também é uma medida que se procurara expandir por todo o Iraque. ?Será complicado mudar a mentalidade de que a ditadura terminou?´, disse o vice-prefeito Khasro Goran.A cidade ? e seu conselho ?são um microcosmos de Iraque. Todo o país e Mosul padecem de profundas divisões étnicas e a eleição do Conselho é uma lógica diferente no combate ao caos que se instalou no país após a queda do regime de Saddam Hussein.Havia, como em todo o Iraque, falta de gasolina, as luzes do trânsito não funcionavam e os soldados norte-americanos ainda necessitam patrulhar as ruas para manter o ordem. ?Era uma situação de crise?, disse Goran. ?Mosul necessitava um Conselho imediatamente´´.Por isso, na semana passada, 230 eleitores das principais famílias e grupos étnicos da cidade votaram para escolher um prefeito e 23 delegados do Conselho Municipal de 32 membros. ?A escolha não foi democracia pura?, admitió Goran. ?Não foi um voto para cada pessoa, embora é o caminho da democracia?. Petraeus disse que as eleições plenas poderiam ter lugar ?em um ano?.Nesta quarta-feira, o Conselho abordou a dois dos temas mais espinhosos: como lidar com os ainda partidários de Saddam que seguem sendo poderosos e como resolver uma amarga disputa entre árabes e curdos pela colheita na agricultura.O Conselho concluiu afastar o diretor da universidade, Zuhair al-Sharooq, por seus vínculos com o regime do Partido Baath e estudar os laços entre o partido e outros funcionários. A colheita ficou para depois.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.