Motim de guardas se estende a outros quartéis de Bangladesh

Primeira-ministra Sheikh Hasina deve se dirigir ainda nesta quinta à nação para esclarecer a situação

Efe,

26 de fevereiro de 2009 | 04h57

Pelo menos seis quartéis da guarda especial de fronteiras em várias cidades de Bangladesh registraram nesta quinta-feira, 26, tiroteios, após o motim que deixou vários mortos na quarta-feira na sede central do corpo em Daca, informou a agência de notícias UNB. Testemunhas citadas pela agência UNB disseram que houve tiros nos quartéis dos distritos de Feni (leste), Satkhira (sudoeste), Sylhet (nordeste), e Dinajpur, Thakurgao e Naogaon (noroeste). A primeira-ministra Sheikh Hasina deve se dirigir ainda nesta quinta à nação, após convocar uma reunião de emergência com seu Gabinete para estudar o motim. A revolta começou na manhã desta quarta-feira, após um tiroteio que ocorreu durante uma reunião entre membros dos Bangladesh Rifles (BDR), que exigiam melhoras salariais, e altos comandantes do corpo, que pertencem ao Exército. Os guardas pediram uma anistia e melhores condições salariais, algo que foi garantido por Hasina na quarta-feira à tarde. De acordo com a UNB, os rebeldes de Daca disseram a uma delegação do governo liderada pelo ministro da Agricultura, Matia Chowdhury, que entregariam as armas às 14 horas (5 horas em Brasília) caso os oficiais do Exército à frente da guarda de fronteiras fossem tirados de seus postos em todo o país.

Tudo o que sabemos sobre:
Bangladeshmotim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.