Motim de presos deixa 13 mortos no Iraque

Troca de tiros ocorre durante tentativa de fuga em delegacia de Ramadi comandada por suposto líder local da Al-Qaeda da Mesopotâmia

AP E NYT, O Estadao de S.Paulo

27 de dezembro de 2008 | 00h00

Seis policiais e sete presos suspeitos de envolvimento com a Al-Qaeda da Mesopotâmia foram mortos ontem num feroz tiroteio durante uma audaciosa tentativa de fuga de uma delegacia no oeste do Iraque, afirmaram fontes policiais.Três dos militantes, incluindo um homem que a polícia descreveu como o líder local da Al-Qaeda da Mesopotâmia, escaparam e continuam foragidos. A Al-Qaeda da Mesopotâmia é um grupo extremista sunita de origem local que, segundo agências americanas de inteligência, é controlado do exterior.A cidade de Ramadi, na Província de Anbar, onde ocorreu a fuga, foi isolada e um toque de recolher foi imposto, disse o prefeito Latif Obaid Ayada. Sete policiais iraquianos e um detido ficaram feridos no tiroteio, que começou dentro da delegacia perto do centro da cidade e se estendeu para as ruas locais.Ramadi foi o centro da insurgência árabe sunita contra as forças americanas até que os chefes tribais começaram a se voltar contra a Al-Qaeda, há dois anos, e a cooperar com os militares dos EUA.A tentativa de fuga começou de madrugada depois que um policial da delegacia escoltou um detido de uma sala de interrogatório até a sua cela, declarou o major-general Tareq al-Youssef, chefe de polícia da Província de Anbar.Quando o policial entrou na cela com o prisioneiro, outro detido, Emad Ahmed Ferhan, o suposto líder da Al-Qaeda na Mesopotâmia, queixou-se de enjôo e disse que precisava usar o banheiro. Quando Ferhan estava saindo da cela, que abrigava 30 prisioneiros naquele momento, atacou o policial.O policial, Majid Latif, foi dominado, despojado de seu fuzil AK-47, amarrado e depois baleado. A polícia informou que 11 dos 30 homens que estavam na cela fugiram, ação que os policiais disseram ser parte de um esquema de fuga previamente planejado. As autoridades declararam que 10 dos 11 homens estavam detidos por acusações relacionadas com terrorismo.Depois do tiroteio inicial, os prisioneiros abriram caminho até o depósito de armas da delegacia para obter mais revólveres e munição. "Estávamos dormindo quando ouvimos tiros", disse um dos policiais no local. "Imediatamente, corremos para o depósito. Os criminosos começaram a atirar para que não chegássemos lá, mas nós os obrigamos a recuar e eles não conseguiram entrar." Quando não conseguiram alcançar o depósito, os prisioneiros começaram a abrir caminho a tiros para sair da delegacia, liderados por Ferhan, sobre o qual recaem as suspeitas de ter organizado o plano. A polícia iniciou uma busca que se prolongou durante todo o dia de casa em casa com fotos dos três homens que conseguiram escapar, incluindo Ferhan.PROTESTOPartidários do clérigo xiita Muqtada al-Sadr participaram ontem de uma manifestação contra os Estados Unidos em Cidade Sadr, em Bagdá. Durante o protesto, bandeiras americanas foram queimadas pelos manifestantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.