AFP
AFP

Motim por aumentos salariais se espalha entre a polícia boliviana

Os 28 mil policiais recebem salário médio de US$ 194 por mês (o piso salarial é de US$ 144)

AE, Agência Estado

22 de junho de 2012 | 14h27

LA PAZ - Um motim de policiais bolivianos que pedem aumentos salariais se espalhou ao redor da Bolívia, com cerca de quatro mil efetivos ocupando os quartéis. Manifestantes saquearam e provocaram um incêndio de documentos e uniformes em um escritório policial em La Paz, mas de maneira geral o protesto parece pacífico.

O motim começou na quinta-feira quando cerca de 30 policiais e suas esposas tomaram um quartel da unidade de elite da polícia boliviana, a apenas 100 metros do palácio presidencial. O presidente da Bolívia, Evo Morales, estava no palácio nesta sexta-feira, protegido pela polícia militar armada com rifles de assalto. Evo ainda não fez comentários sobre o motim. Ontem, quando o motim estourou, o governo negou que algo assim ocorresse. Os comandantes da polícia não participam do motim.

Os 28 mil policiais da polícia boliviana recebem um salário médio de US$ 194 por mês (o piso salarial é de US$ 144), um terço do que recebe um sargento das Forças Armadas. Os policiais exigem equiparação salarial com os militares, entre outras reivindicações.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.