AFP
AFP

Motorista de van de ataque em Barcelona foi morto pela polícia, diz mídia

Os cinco agressores tinham um machado e facas no carro e vestiam coletes explosivos falsos

O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2017 | 17h19

BARCELONA - O motorista da van que atropelou uma multidão em Barcelona na quinta-feira, 17, matando 13 pessoas, foi um dos cinco homens mortos a tiros pela polícia em um resort litorâneo da Catalunha horas depois, informaram dois jornais espanhóis nesta sexta-feira, 18.

Josep Lluis Trapero, chefe de polícia da Catalunha, região do nordeste da Espanha, havia dito mais cedo que era possível, mas ainda não confirmado, que o motorista fosse um dos mortos. 

Ele abandonou a van e fugiu depois de acelerar em uma passarela para pedestres de Las Ramblas, a alameda mais famosa de Barcelona, deixando um rastro de mortos e feridos.

Tratou-se do mais recente de uma série de ataques na Europa nos últimos 13 meses nos quais militantes usaram veículos como armas – uma tática brutal e fatal, que é quase impossível de evitar e já matou quase 130 pessoas na França, Alemanha, Reino Unido, Suécia e Espanha.

Supostos jihadistas estiveram por trás dos ataques anteriores. O Estado Islâmico disse que os perpetradores realizaram a operação de Barcelona em resposta ao chamado para atacar países envolvidos na coalizão liderada pelos Estados Unidos que combate o grupo terrorista.

Horas após o atentado com a van, a polícia baleou e matou cinco pessoas no resort catalão de Cambrils, a 120 quilômetros de Barcelona, depois que eles lançaram seu carro contra pedestres e policiais.

Os cinco agressores tinham um machado e facas no carro e vestiam coletes explosivos falsos, informou a polícia.

Uma espanhola morreu no incidente de Cambrils, e vários outros civis e um policial ficaram feridos.

A polícia prendeu quatro pessoas ligadas aos ataques – três marroquinos e um cidadão de Melilla, enclave espanhol no norte da África, disse Trapero. Eles tinham idades entre 21 e 34 anos, e nenhum tinha histórico de atividades relacionadas ao terrorismo.    

As autoridades emitiram mandados de prisão para quatro outros suspeitos de conexão com os dois atentados, disse uma fonte judicial, sem informar seus nomes.

O La Vanguardia, jornal de Barcelona que disse ter obtido um documento interno da investigação, informou que os quatro sendo procurados são todos de origem marroquina e com idades entre 17 e 24 anos.

Um dos procurados pela polícia se chama Moussa Oukabir, informou uma fonte policial, mas não ficou claro de que papel ele é suspeito. De idade entre 17 e 18 anos e também de origem marroquina, ele é o irmão caçula de um dos homens presos na quinta-feira, de acordo com relatos da mídia espanhola. / REUTERS 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.