Motorista e fotógrafo da Reuters são mortos no Iraque

Exército americano afirma que mortes aconteceram em um tiroteio com estudantes; testemunhas dizem que foi em um ataque de um helicóptero dos EUA

Reuters

13 Julho 2007 | 01h14

Um fotógrafo e um motorista iraquianos, ambos a serviço da Reuters, foram mortos na quinta-feira em Bagdá. Testemunhas afirmam que foi um ataque de um helicóptero dos EUA, mas os militares dizem que foi um tiroteio com insurgentes. A polícia iraquiana atribuiu as mortes às forças norte-americanas. O fotógrafo Namir Noor-Eldeen, 22 anos, e o motorista Saeed Chmagh, 40, foram mortos na zona leste de Bagdá, segundo a agência internacional de notícias. Em nota, os militares dos EUA disseram que a dupla morreu num confronto entre suas tropas e insurgentes, e que o incidente está sendo investigado. Soldados iraquianos e norte-americanos teriam sido atacados por uma "força hostil" e pediram reforço aéreo. Nove insurgentes e dois civis foram mortos, segundo os militares. "Os dois civis eram tidos como empregados do serviço noticioso Reuters", acrescenta a nota. Um relatório policial preliminar obtido pela Reuters diz que Noor-Eldeen e Chmagh foram mortos num "bombardeio americano aleatório" que matou nove outras pessoas. O relatório foi divulgado pela delegacia de Al Rashad, a mais próxima da área. A Reuters obteve uma fotocópia. O texto se baseia no relato de testemunhas do incidente e é assinado por um tenente-coronel, titular da delegacia. Com esse incidente, já são seis os funcionários da Reuters mortos no Iraque desde a invasão estrangeira liderada pelos EUA em 2003 para derrubar Saddam Hussein.

Mais conteúdo sobre:
Iraque morte de fotógrafo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.