Motorista feito refém no Iraque foi libertado

Insurgentes iraquianos libertaramneste sábado o motorista filipino Angelo de la Cruz, seqüestradona semana passada, informou o governo das Filipinas. Um gruporadical ameaçava decapitar o refém se o país não retirasse seucontingente militar (de apenas 51 homens) do Iraque.O anúncio foi feito horas depois de a presidente filipina,Gloria de Macapagal Arroyo, ter anunciado que as forçasfilipinas retornarão a Manila em 20 de agosto, quando expira seuperíodo de permanência na coalizão liderada pelos EUA. Outros estrangeiros continuam seqüestrados no Iraque.Hoje, um empresário saudita informou que um grupo rebelde exigeo pagamento de resgate de US$ 1 milhão para libertar ummotorista egípcio que trabalha para sua empresa e foi feitorefém. Extremistas também ameaçam matar dois búlgarosseqüestrados esta semana se os EUA não soltarem os iraquianosdetidos em prisões sob seu controle. O prazo dado pela guerrilhaexpira hoje. "Temos informações não confirmadas de que os refénsbúlgaros estão vivos", disse o chanceler da Bulgária, SolomonPassy. "A exigência dos seqüestradores não é algo que nossogoverno possa cumprir. Mesmo assim, os parentes de Georgi Lazove Ivailo Kepov - os dois seqüestrados, que trabalhavam comomotoristas - fizeram um apelo ao governo para que retire astropas búlgaras do Iraque, para tentar abrir negociações. ABulgária mantém 470 soldados em uma base ao sul de Bagdá. Na semana passada, o governo iraquiano baixou uma severalei que dá ao primeiro-ministro Iyad Allawi o poder de adotaroutras medidas de exceção para garantir a segurança dapopulação. As autoridades estudam ainda a oferta de anistia aosrebeldes.

Agencia Estado,

10 de julho de 2004 | 13h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.