Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Mourão diz não saber o que falta para Brasil reconhecer vitória de Joe Biden

Vitória do democrata foi confirmada pelo colégio eleitoral americano na segunda-feira, 14

Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2020 | 16h30

BRASÍLIA - O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira, 15, não saber o que falta para o governo brasileiro reconhecer a vitória do democrata Joe Biden como presidente eleito dos Estados Unidos. Na segunda-feira, 14, o colégio eleitoral norte-americano confirmou o resultado do pleito finalizado em 7 de novembro. 

Questionado sobre o que falta para reconhecer a eleição do democrata, Mourão deu uma resposta direta: "não sei", acompanhada de um gesto com os braços abertos. Desde a confirmação pelo colégio eleitoral dos Estados Unidos, os governos da Rússia e do México se manifestaram sobre o assunto.

Com isso, o presidente Jair Bolsonaro e o norte-coreano Kim Jong-un são os únicos dos principais líderes mundiais a não reconhecerem Biden como novo presidente dos Estados Unidos. A eleição americana já foi inclusive motivo de divergência entre o vice-presidente e Bolsonaro. O chefe do Executivo tinha no atual presidente americano, Donald Trump, um aliado e apostava na sua reeleição.

No dia último dia 4, Mourão afirmou que o governo brasileiro já havia reconhecido "tacitamente" a vitória de Biden e reforçou que "no momento certo" o cumprimento de Bolsonaro ocorreria. "No momento certo ele irá cumprimentar o presidente Biden, assim que for efetivada essa eleição dele, que na minha visão se dará no próximo dia 14 de dezembro, quando o colégio americano se reunir e carimbar a vitória de Biden", disse o vice-presidente na ocasião.

Desde segunda-feira, contudo, Bolsonaro mantém o silêncio sobre o assunto. Nesta terça-feira, o presidente evitou até mesmo conversar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, como costuma fazer. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.