EFE/EPA/FABIO FRUSTACI
EFE/EPA/FABIO FRUSTACI

Movimento 5 Estrelas exige que PD aceite Conte como premiê para formar governo na Itália

Negociação de coalizão está paralisada; centro-esquerda pede maior participação em ministérios

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 11h07

ROMA - A poucas horas do início de uma nova rodada de negociação para formação de uma coalizão de governo na Itália com o presidente Sergio Matarella, o Movimento 5 Estrelas (M5S) exigiu ao Partido Democrático a manutenção de Giuseppe Conte como primeiro-ministro, o que levou as negociações a um impasse. 

"Depois de quatro horas de reunião ontem (segunda-feira), não chegamos a nada. Não podemos trabalhar assim. Voltaremos a encontrar o PD quando os órgãos do partido apresentarem o 'ok' a Conte para seguir à frente do Executivo", afirmou o M5S em um comunicado, pouco antes de um encontro em tese previsto para a manhã desta terça-feira.

Os dois partidos negociam para tentar formar uma nova maioria que substituiria a coalizão implodida em 8 de agosto por Matteo Salvini, líder da Liga, de extrema direita, por suas divergências com o M5S.Com a popularidade em alta, Salvini pretende antecipar as eleições para formar governo.

M5S aumenta pressão sobre PD

"Isto não funciona. Em uma fase tão delicada para o país, não há tempo a perder. Nós trabalhamos intensamente para dar uma resposta imediata aos cidadãos", completou o M5S em seu comunicado, no qual indica que não participará mais em reuniões "até que (o PD) explique oficialmente sua postura sobre Giuseppe Conte".

De acordo com a imprensa italiana, o líder do PD, Nicola Zingaretti, não pretende vetar o primeiro-ministro demissionário, mas exige em troca de sua aprovação garantias sobre a formação do ministério, com um maior equilíbrio de forças entre os novos sócios.

Presidente comanda negociação na Itália

Mattarella já organizou na semana passada uma primeira rodada, após a qual comunicou que havia uma maioria parlamentar com vontade para tentar negociar um Governo, em referência ao M5S e ao PD.

Por isso, o presidente italiano concedeu mais tempo embora tenha pedido rapidez, já que a Itália tem que resolver vários compromissos a curto prazo, como a escolha do candidato à comissário europeu e a elaboração do Orçamento Geral para 2020.

Mattarella receberá nesta tarde os presidentes da Câmara dos Deputados, Roberto Fico, e do Senado, Maria Elisabetta Aberti Castellati, e os grupos minoritários, e na quarta-feira será a vez dos grandes partidos. / AFP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.