EFE/ Javier Gallardo
EFE/ Javier Gallardo

Movimentos argentinos de esquerda protestam contra visita de Obama

Manifestantes carregavam bandeiras e cartazes com mensagens de repúdio ao presidente americano

O Estado de S. Paulo

24 de março de 2016 | 11h19

BUENOS AIRES - Organizações políticas de esquerda protestaram na quarta-feira em Buenos Aires contra a visita oficial que o presidente dos EUA, Barack Obama, realiza no território argentino.

Com bandeiras e cartazes que traziam mensagens como "Fora da Argentina, Obama!" e outras expressões de repúdio, grupos como Tendencia Piquetera Revolucionaria e Frente de Izquierda se mobilizaram nas portas de um centro de convenções onde aconteceu um encontro entre empresários americanos e argentinos.

"Repudiamos a presença de Obama, o chefe do imperialismo americano, que veio dar seu apoio ao novo governo reacionário e pró-ianque de Mauricio Macri", disse Juan Carlos Giordano, dirigente da Frente de Izquierda, sobre o motivo do protesto.

Por sua parte, Juan Marino, dirigente da Tendencia Piquetera Revolucionaria, assegurou que, antes de sua chegada à Argentina, Obama pediu "um relatório de inteligência sobre a situação das organizações populares para avaliar possíveis protestos contra ele".

Os manifestantes marcharam até o centro de convenções La Rural, onde foi realizado um encontro organizado pela Câmara de Comércio dos EUA na Argentina e onde se especulava a possibilidade de que Macri e Obama encerrassem o encontro empresarial.

Na quarta-feira, Obama se reuniu com Macri e teve um encontro com jovens argentinos. Nesta quinta-feira, 24, o líder americano presta uma homenagem às vítimas do regime militar no Parque da Memória e viaja à tarde com sua família para Bariloche. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.