AP Photo/Rodrigo Abd
AP Photo/Rodrigo Abd

MP do Peru faz buscas em Lima como parte de investigação sobre Odebrecht

Operações nos 12 imóveis foram autorizadas por um juiz de uma turma de um tribunal especializado na corrupção de funcionários peruanos

O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2017 | 15h32

LIMA - O Ministério Público do Peru informou na terça-feira que realizou operações em ao menos 12 endereços residenciais de Lima como parte de uma investigação sobre suposto pagamento de propina por parte da empreiteira Odebrecht no país.

+Justiça peruana inclui três construtoras brasileiras em caso de corrupção

As operações nos 12 imóveis foram autorizadas por um juiz de uma turma de um tribunal especializado na corrupção de funcionários peruanos a pedido da Procuradoria que investiga o caso, segundo mensagem do Poder Judiciário publicada no Twitter.

“Equipe especial do Ministério Público realiza operações em 12 imóveis em Lima e Callao em investigação pelo suposto pagamento de propinas da Odebrecht a campanha presidencial”, disse a Procuradoria no Twitter, sem fornecer mais detalhes.

A construtora Odebrecht admitiu ter pago ao menos 29 milhões de dólares em suborno para ganhar a concessão de obras públicas no Peru entre 2005 e 2014, durante os governos dos ex-presidentes Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala.

+Presidente peruano rejeita acusações de ter trabalhado para Odebrecht

Em nota, a empreiteira afirma que está colaborando para esclarecer todos os fatos relativos aos casos de corrupção envolvendo seus ex-executivos. “A Odebrecht entende que é de responsabilidade da Justiça a avaliação de relatos específicos feitos pelos seus executivos e ex-executivos. A empresa está colaborando com a Justiça no Brasil e nos países em que atua. Já reconheceu os seus erros, pediu desculpas públicas, assinou um Acordo de Leniência com as autoridades do Brasil, Estados Unidos, Suíça, República Dominicana, Equador e Panamá, e está comprometida a combater e não tolerar a corrupção em quaisquer de suas formas.”

+Keiko Fujimori nega ter recebido dinheiro da Odebrecht

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.