Mubarak pede a seu novo premiê que dialogue com a oposição

Para aplacar a crescente revolta dos cidadãos contra seu regime, o presidente egípcio quer reformas na economia, orientadas à criação de emprego e ao controle da inflação

Efe,

31 de janeiro de 2011 | 03h17

CAIRO - O presidente egípcio, Hosni Mubarak, pediu a seu novo primeiro-ministro, Ahmed Shafiq, que dialogue com a oposição para promover a democracia no país, em mensagem por televisão na noite deste domingo, 30.

Mubarak, encurralado pelos protestos maciços em todo o país e pela pressão internacional, pediu a Shafiq, um militar nomeado este sábado, 29, para o posto, que empreenda reformas na economia, orientadas à criação de emprego e ao controle da inflação, segundo declarou na televisão estatal Nile TV.

O líder egípcio, no poder desde 1981, tenta deste modo aplacar a crescente contestação dos cidadãos contra seu regime nas principais cidades do país, desde que na terça-feira passada começaram as manifestações.

Enquanto isso, a fragmentada oposição egípcia deu este domingo passos decisivos para se preparar perante uma eventual mudança de regime, com a presença pela primeira vez do prêmio Nobel da Paz Mohamed El Baradei na praça Tahrir, epicentro do protesto, e a criação de um comitê com os militares para negociar a transição.

Além disso, a polícia voltou nesta segunda-feira, 31, às ruas do Cairo para evitar os atos de pilhagem e vandalismo, embora a principal praça do Cairo continue sob vigilância dos militares.

Pelo menos 102 pessoas morreram e mais de mil ficaram feridas desde que milhares de egípcios saíram às ruas para pedir a renúncia de Mubarak.

Tudo o que sabemos sobre:
Egíto, Mubarak, protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.