Efe
Efe

Mubarak volta à prisão de Tora após ter alta

Ex-presidente egípcio ficou internado por quase um mês após sofrer um ataque cardíaco

Efe,

16 de julho de 2012 | 16h28

CAIRO - O ex-presidente egípcio Hosni Mubarak voltou à prisão de Tora nesta segunda-feira, 16, para cumprir sua pena de prisão perpétua, por ordem da Procuradoria Geral, após seu estado de saúde melhorar. Uma fonte dos serviços de segurança egípcios informou que Mubarak, internado havia um mês no hospital militar de Maadi, foi transferido de ambulância e cercado por um grande esquema de segurança.

Veja também:

link Com foco no Egito, Hillary faz primeira visita a Israel desde 2010

link Presidente do Egito pede 'diálogo' para evitar crise

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Sua chegada à prisão aconteceu horas depois de o Ministério Público avaliar que seu estado de saúde é estável, não havendo mais justificativa para permanência no hospital. Segundo o escritório do procurador, uma comissão médica formada para examinar Mubarak, de 84 anos, determinou que, considerando sua idade, o ex-mandatário estava em boas condições de saúde.

O ex-ditador foi transferido da prisão de Tora para o hospital de Maadi em 19 de junho, após sofrer uma trombose cerebral, seguida de um ataque cardíaco. Na época, circularam rumores sobre sua saúde e alguns afirmavam que Mubarak estaria clinicamente morto.

O ex-chefe de Estado foi preso em Tora dia 2 de junho, após ser condenado à prisão perpétua por sua cumplicidade na morte de manifestantes durante as revoltas que levaram a sua renúncia, em fevereiro de 2011. Desde sua chegada à prisão, sua saúde começou a se deteriorar, e durante os 17 dias em Tora, o político precisou ser atendido várias vezes de forma emergencial por recaídas.

Em abril de 2011, Mubarak foi hospitalizado em um centro médico de Sharm el-Sheikh (no litoral do Mar Vermelho), após sofrer um ataque cardíaco no mesmo dia que foi interrogado e detido. Com o começo de seu julgamento, em agosto do ano passado, Mubarak foi levado do hospital de Sharm el-Sheikh ao Centro Médico Internacional do Cairo.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.