Muçulmana é demitida por não tirar o véu na Inglaterra

Uma professora auxiliar muçulmana foi demitida por ter se negado a tirar seu véu facial em uma escola de Dewsbury (norte da Inglaterra), confirmou nesta sexta-feira, 24, a prefeitura de Kirkless, responsável pela jurisdição da localidade. Aishah Azmi, de 24 anos, perdeu em outubro o processo por discriminação religiosa e assédio por suas crenças apresentado em um tribunal do trabalho, que, no entanto, obrigou as autoridades locais a indenizarem a mulher com 1.100 libras (US$ 2,1 mil) pela perseguição da qual foi vítima. Um porta-voz da prefeitura, citado pela BBC, assinalou que a demissão ocorreu depois de um comitê disciplinar da junta diretiva do colégio realizar uma audiência sobre o caso. A professora havia sido previamente suspensa pela escola Headfield da Igreja da Inglaterra em Dewsbury, onde trabalhava como auxiliar nas classes de inglês. A prefeitura de Kirkless pediu à professora que tirasse o véu na sala de aula e alegou que esse pedido "não tem nada ver com a religião", mas com uma medida prática para o melhor entendimento dos alunos. Azmi assinalou que estava disposta a tirar em véu para as crianças, mas não quando houvesse colegas masculinos presentes.

Agencia Estado,

24 Novembro 2006 | 19h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.