Muçulmano é multado por ensinar a surrar mulheres

O religioso muçulmano Mohamed Kamal Mustafa foi condenado ontem a 15 meses de cadeia pela Justiça da Espanha. Motivo: a publicação de um livro que ensinava os homens a espancar suas mulheres sem deixar cicatrizes. Indignado, Mustafa alega que apenas se limitou a "interpretar os ensinamentos do Corão (livro sagrado muçulmano). O livro, publicado há três anos na Espanha, intitula-se Mulheres no Islã. Nele, o religioso ensina que, "após advertir verbalmente uma mulher desobediente, seu marido deve lhe aplicar um período de privação sexual". Na hora de "aplicar uma surra", o livro recomenda "administrar golpes nos pés e nas mãos da mulher" e alerta: "Deve-se usar uma vara fina para evitar marcas". Embora a lei espanhola livre da cadeia réus primários com penas inferiores a dois anos, Mustafa não se livrará de pagar uma multa equivalente a US$ 2.735.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.