Muçulmanos atacam lojas de cristãos em Alexandria

ALEXANDRIA, Egito (Reuters)- Centenas de muçulmanos apedrejaram lojas pertencentes a cristãos e uma estação de polícia na cidade mediterrânea de Alexandria neste domingo depois de um homem muçulmano ter sido morto, afirmou uma testemunha.

REUTERS

05 de abril de 2009 | 16h56

Uma fonte disse que a violência começou depois que se espalhou a informação passada boca a boca de que um muçulmano, identificado como Ahmed Abdel Razeq Gomaa, teria sido apunhalado até a morte na rua por cristãos donos da propriedade onde Gomaa morava.

Uma multidão de mulçumanos se aglomerou perto da mesquita onde Gomaa estava sendo velado. Eles cantavam "eles vão morrer", em referência aos três irmãos cristãos -Ayman, Atef e Farag Tagy- donos da propriedade onde morava Gomaa.

Uma fonte na área de segurança declarou que os três irmãos já haviam sido detidos pela morte.

Os cristãos representam 10 por cento da população do Egito. A relação com a maioria muçulmana é geralmente harmoniosa, mas disputas em relação a terras, prédios religiosos e mulheres às vezes acabam em violência.

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOVIOLENCIAALEXANDRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.