Binsar Bakkara / AP
Binsar Bakkara / AP

Muçulmanos de todo o mundo celebram início do mês sagrado do Ramadã

Durante este período, os fiéis se abstêm de comer, beber ou manter relações sexuais do amanhecer ao anoitecer

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2019 | 09h25

JACARTA - Muçulmanos em todo o mundo celebram a partir desta segunda-feira, 6, o início do mês sagrado do Ramadã, durante o qual se abstêm de comer, beber ou manter relações sexuais do amanhecer ao anoitecer. Segundo a crença, eles fortalecem sua solidariedade e gratidão a Deus ao jejuar em conjunto. O Ramadã vai aproximadamente até o dia 4 de junho.

No domingo, sírios refugiados em Istambul, na Turquia, compraram alimentos para preparar refeições sírias que serão consumidas ao fim de cada dia de jejum. Após o pôr do sol, refugiados sírios e outros se reuniram em mesquitas para orar.

Cerca de 3,6 milhões de refugiados sírios buscaram refúgio na Turquia. Muitos não sabem quando poderão retornar às suas casas, já que não há previsão para o fim da guerra civil e dos conflitos na Síria, que já duram mais de oito anos.

Um refugiado disse que as pessoas na Turquia celebram o Ramadã da mesma forma como é feito na Síria, mas que ele sente saudades de celebrar o mês sagrado em sua terra natal.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão recomenda às pessoas que vão viajar ao exterior durante este período que tomem medidas de precaução contra o terrorismo, como estar atento às informações mais recentes e evitar locais muito movimentados.

Em anos anteriores, grupos militantes - incluindo o jihadista Estado Islâmico - realizaram ataques durante o mês do Ramadã. / Agência Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
RamadãreligiãoIslamismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.