Muçulmanos franceses repudiam seqüestros no Iraque

Líderes da comunidade islâmica da França condenam o seqüestro de dois jornalistas franceses no Iraque, Christian Chesnot e Georges Malbrunot, capturados por terroristas que exigem que o governo em Paris revogue a lei que proíbe símbolos religiosos nas escolas públicas. A medida afetou principalmente a comunidade muçulmana francesa, já que impede as meninas de usar véus em sala de aula. ?Não devemos negociar. É chantagem, o que os muçulmanos da França rejeitam. É chantagem que não serve à causa islâmica e que, infelizmente, faz da comunidade muçulmana refém?, disse Lhaj Thami Breze, presidente da União de Organizações Islâmicas da França. ?A questão do véu é um assunto exclusivamente francês e não aceitaremos interferência?, acrescentou.O premier Jean-Pierre Raffarin reuniu os ministros do Interior, Relações Exteriores e Comunicação para coordenar a resposta governamental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.